terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Referências de Janeiro - filmes e músicas que nos compõem...

 Eu sou de assistir pouco. Quero dizer sobre longas, pois sou um viciado em clipes, mas quando me percebo, pronto já nem estou assistindo, só ouvindo as músicas que estão tocando aleatoriamente no Youtube.
 Gosto muito de destas produções curtas, acredito ser uma arte, contar uma história em 3 minutos e poucos de películas. Este mês aliás usei para me permitir conhecer coisas inéditas aos meus ouvidos: (Banks, Castello Branco, Nao, Glass Animals, Oh Wonder, Alessia Cara, entre outros)

 Mas falando de longas o que teve em janeiro/2016 foi:
  • "Kuma", ou "A segunda esposa" - filme turco com ótima fotografia e enredo que surpreende várias vezes ao longo o filme. Contrasta a cultura islâmica com a ocidental e nos revela a bigamia, homossexualidade, morte, violência domestica, desrespeito a mulher, etc.
  • "Matei a minha mãe" - estava para assistir este filme desde o meu último ano de faculdade. Simplesmente lindo nos revela como lidamos com a relação materna e os conflitos internos que todo adolescente passa.
  • "Como esquecer" - após o término de uma relação de dez anos, uma professora universitária se vê perdida e com a ajuda de seu melhor amigo trilha um caminho de autodescoberta pós relacionamento. Filme brasileiro super reflexivo.
  • "A lista do não beijar de Naomi e Ely" - filme adolescente que trata a amizade entre dois melhor amigos de infância no começo de suas vidas adultas. Até que Ely fica com o namorado de Naomi e os conflitos não resolvidos entre eles aparecem. Filme baseado no romance de mesmo nome de David Levithan, autor que recomendo por suas obras Gays.
  • Eating out, menos gay stereotipado impossível, mas deu muitas risadas com o filme. No geral ainda tem uma história de amor bem melosa. Quero assistir com alguém no futuro, aproveitar as deixas que as cenas quentes dão, várias aliás, para acariciar o boy.
 Ah e já que comentei sobre clipes e músicas este mês ainda vivenciei algumas experiências com shows:
  • Flora Matos, MC. músicas bem produzidas e letras bem elaboradas. Confesso que só sabia de cor uma delas: Pretin, as outras eu tinha passado a semana anterior ao show ouvindo, mas não consegui decora-las.
  • Rico Dalasam: bom, este eu faço questão de ir de novo quando surgir uma próxima oportunidade. O cara canta muito, ainda reivindica nas letras suas causas. Neste show o Thiago Petit também estava presente, o que somente lacrou a noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço muito a sua participação! Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...